Sweet Canadian Life: Criancas na Moda: Onde Comprar? Onde comprar canada ganso

Sweet Canadian Life

Friday, September 11, 2009

Criancas na Moda: Onde Comprar?

Sempre recebo muitos elogios com as roupas das meninas e muitas pessoas, inclusive vizinhos, me perguntam aonde eu compro roupas pras criancas. Nao que eu seja fashion specialist em moda infantil….na verdade deixo esse cargo para a Lilian, pois ela ama moda e adora estar na moda tambem, mas vou passar pra voces as minhas lojas preferidas em moda infantil aqui no Canada.

1. Children's Place
Empresa americana leader em moda infantil e de fabricacao propria, um lugar que gosto muito e' o Children's Place: http://www.childrensplace.com/ La' voce encontra roupas do dia dia com qualidade e precos bem acessiveis. Bem, minha dica e' sempre esperar os Sales. No release da colecao tudo e' preco cheio, entao volto em 15 dias e esta' tudo mais barato. A Children's Place tem um card. Voce pode aplicar e receber 10% off em todas as suas compras. O card e' acumulativo e voce comeca a receber o desconto depois de 200.00 dollares gasto na loja.

2. Bonnie Togs
Outra loja que sempre dou uma olhadinha e' a Bonnie Togs: http://www.bonnietogs.com/. Eles tem marcas bem famosas como a Carters e a Oshgosh.

3. Please Mum.
Finalmente uma designer infantil canadense. http://www.pleasemum.com/ Originaria de Vancouver, a Please Mum tem varias selecoes para criancas ate' 12 anos. O tamanho deles e' menor que os das empresas americanas. As vezes voce vai la' e encontra coisas bonitinhas e as vezes nao encontra nada. O preco e' meio salgadinho pela qualidade oferecida, mas sempre vale a pena dar uma passadinha e verificar as novidades de cada estacao.

4. O.K Kids
Maioria das lojas em Quebec. Aqui em Ontario voce encontra pouquissimas lojas. A OKKIDS oferece roupas de recem-nascido a 12 anos de idade das marcas: Krickets, Baby Bell, Baby Gro, Kaboo, Absorba, B.T. Kids, C'est la vie, Gusti, Calin Caline and JoJo. O Website deles e' www.okkids.com Eles tem muitos conjuntinhos e voce encontra la' tambem vestidos de festa, batizados, etc… A selecao e' bem francesa.

5. Gymboree
E' a minha loja preferida para roupa de criancas. http://www.gymboree.com/ Principalmente para roupa de sair. Para as meninas e' um show. Tem tudo igual, desde a roupa, sapato, sandalias, acessorios do cabelo. A colecao deles seguem temas. Por exemplo, nesse verao, dois temas que eu gostei muito eram os de Melancia e de Conchinhas. Para o tema melancia, tinham coisas lindas, bluzinhas com melanciazinhas, vestidos, bermudas, uma serie de pecas todas seguindo as cores rosa, vermelho e verde. O tema de conchinhas estava uma fofura tambem. Acabei comprando para as meninas batinhas azuis com aplique de conchinas, bermudas brancas. Presilha de conchinhas para os cabelos. Mas o quente mesmo foi um vestido que eu comprei para a Vanessa de algodao com lindos apliques de conchinhas. Ah esqueci do tema das Joaninhas no Spring passado. Muiiiito fofo!!! Para os meninos, os temas eram carros e barcos. Muitas bermudonas com camisas.

6. GAP Kids
Estilo esporte, a GAP tem algumas pecas chaves. Na minha opiniao, os meninos tem mais selecoes do que as meninas. Mas confesso que quando a GAP esta' em promocao, os precos compensam!!! Nao se esqueca de visitar sempre o final da loja aonde os Sales estao. Principalmente na troca de estacao!

7. H & M, Winners, ToysRUs and Old Navy
Na H & M voce tambem vai achar algumas pecas legais para a criancada. Tanto para meninos ou para meninas. A agente da Vanessa recomendou a H&M como loja de escolha para outfit de auditions.
Na ToysRUs voce tambem encontra alguma coisa para bebes e criancas ate' 4 anos. Nao mais de 4 anos. Comprei um conjuntinho de verao la' para a Vanessa que foi uma fofura. Na gravacao de uma propaganda que a Vanessa fez, a camareira elogiou o outfit e nem quis trocar. Ela acabou gravando o comercial com a propria roupinha que comprei la'.
Apesar de achar a Old Navy meio desorganizada, voce tambem encontra coisas legais para a criancada. A Old Navy e' do grupo da GAP, so' que qualidade um pouquinho inferior e precos mais baratos. E' uma excelente opcao para roupas do dia a dia.

8. Lojas de Departamento: Sears and The Bay
Geralmente recorro a Sears ou a The Bay em ultimo caso. Sabe quando voce esta' procurando algo e nao encontra em nenhum lugar? Entao da' uma passadinha na Sears e na The Bay.

9. Supermercados: SuperStore (Joe), Walmart and Zellers.
Joe Fresh e' uma marca que esta' crescendo na area infantil nos ultimos meses e tambem foi indicada pela agente da Vanessa como opcao de roupa basica para as auditions. http://www.joe.ca/en/clothing/fall_2009_collection/kids_look_book/ A colecao deles tem geralmente pecas em cores pasteis bem interessantes e e' encontrada nos supermercados: SuperStore e Lobblaws. Eu particularmente considero a Zellers e o Walmart no mesmo nivel para moda infantil. Tanto Zellers como Wallmart oferecem roupas de qualidade bem inferior que as outras marcas anteriores e ficam feias em poucas lavadas. E' bom lugar para meias, calcinhas, cuequinhas, chinelos, pijamas, etc… mas so'. Minha experiencia: As poucas pecas que tinha comprado para Vanessa na Zellers e Wallmart nao duraram para a Melissa. Tive que doar tudo pois com o tempo ficaram desbotadas e desfiguradas. Em compensacao, outras marcas duraram para as minhas duas filhas e ainda guardei, pois estao bonitas o suficiente para serem usadas por uma terceira crianca.

10. Outras Brand Stores.
A Tommy, a Mexx, entre outras tambem oferecem colecoes infantis e apesar do preco mais salgado, sempre vale a pena dar uma passadinha principalmente quando estao on Sale!

Boa sorte e boas compras!!!

11 comments:

Marilena said...

Oi Denise,

eu conheci a Children's Place nos EUA e sempre dou uma passadinha por lá pra ver as promoções. A Gap kids eu descobri aqui porque tinha a noção de que era muito caro. Tem um pouco de tudo mas sempre encontro promoções com preços ótimos. Também não gosto da Walmart e zellers. O que comprei lá não durou quase nada; desbotam e ficam parecendo roupas velhas.
Eu já vi a okkids mas sempre fico indecisa porque não conheço as marcas. Já encontrei coisas lindas lá mas acabei não comprando. Vou anotar estas que vc falou e olhar com mais cuidado.

bj
Marilena

Sergio said...

Excelente post. Eu gosto muito da Oshkosh e da Children Place.
Mas não daria para fazer um post desses para compra de roupas de inverno? Sabe, tem muita gente que nunca passou um inverno na vida, rs, rs, rs.

Sweet Canadian Life said...

Claro que da' sim Sergio!!!
Vou fazer!
Abracos,
Denise

Familia 4M said...

Oi De
Ótimas suas dicas..as vezes encontor roupinhas para a Nina da Guess no Toy r Us
Ela tem uma calça jeans da Guess que é um charminho, parece uma mocinha
Ei, a Vanessa ta fazendo comerciais? BOm, linda ela sempre foi desde bebezinho e tenho certeza que fará muito sucesso!
Beijos

Temperatura Máxima no Canadá said...

Olá Denise, tudo bem?

Sabia que um dos gdes sonhos da minha vida é ter uma loja de roupa infantil, especialmente, bebês...rsrs Já vou guardar esses endereços, vai que eu consiga arranjar uma vaguinha de vendedora nessas lojinhas...rsrs

Bjos

Rosi

Dani said...

Oi Denise!

Na verdade eu nasci em Uberaba-MG, mas nunca morei lá. Meus pais se mudaram pra Sto André qdo se casaram, e foi lá que eu sempre morei. O Pedro é de São Paulo.
Pq? Vcs tb são de lá?

Bjo

Suellen said...

Denise. Eu moro em Curitiba, Parana. Eu gostaria de tirar algumas duvidas com você, se possivel. Meu email é: lorhan_work@hotmail.com. Desde já agradeço. Lorhan Bandeira.

Ana Celia said...

Oi De,
todos ja tinham me dito que vc eh uma pessoa muito simpatica e no sabado pude comprovar! :)
Compro as roupas do Henrique normalmente na TCP, na Tommy ou na GAP, mas gosto das coisas da MEXX e da H&M.

Bjks,
Ana

Tina said...

Oi denise!

Dá gosto de ler um posto assim cheio de dicas e o que é melhor: comprando aí a gente sabe que a qualidade é excelente. Vale o preço.

beijos querida, boa semana,

Ludmila said...

Denise tudo bem? Qual desses sites tem como traduzir para Portugues? E a moeda é o dolar canadese?
Obrigada

Ludmila said...

Denise tudo bem? Qual desses sites tem como traduzir para Portugues? E a moeda é o dolar canadese?
Obrigada

Newer Post Older Post Home
 

canada goose jakker uk
waar kanada goose kopen
gans

Aconcágua

Argentina - 6.959m

A maior montanha das Américas!

Escalada em: 18 de fevereiro de 1988 e 17 de fevereiro de 1989.

Junto com: em solitário.

Rota percorrida: rota Normal, face noroeste.

Dificuldade: PD, pouco difícil, porém exigente fisicamente em razão da altitude.

Tempo estimado: 10 a 15 dias desde Puente del Inca.

Época adequada: dezembro a março.

Acesso: de Mendoza estrada até Puente del Inca (175km).

Aproximação: de Puente del Inca (2.760m) caminhada de dois dias, 40 Km, até Plaza de Mulas (4.230m).

Equipamento necessário: completo para alta montanha, atenção especial para roupas que suportem o frio e saco de dormir, indispensável botas duplas, grampões e bastões de esqui.

O Aconcágua, com 6.959m, é a maior montanha da América do Sul. Está situado na Argentina, próximo da fronteira com o Chile. Esta grande montanha representa o verdadeiro início da minha carreira de alpinista profissional, bem como muitas das melhores experiências que já tive.

Foi a primeira grande montanha que escalei, em 18 de fevereiro de 1988. No dia 17 de fevereiro de 1989, consegui chegar ao seu cume pela segunda vez. Estas duas escaladas foram feitas pela Face Noroeste, por onde se desenvolve a Rota Normal, a mais acessível do Aconcágua.

A Rota Normal é na verdade uma longa caminhada, sua parte mais difícil é a “Canaleta”, que começa a 6.700m, transformando o caminho ao cume em uma interminável rampa de pedras soltas. Mesmo não apresentando grandes dificuldades técnicas, não é aconselhável enfrentá-la sem os mínimos conhecimentos de alta montanha. O frio intenso, o ar rarefeito e a possibilidade de mudanças bruscas no tempo, podem levar o alpinista sem experiência à sérias consequências.

Também já escalei o Cerro Cuerno (5.400m), e o Cerro Catedral (5.700m), vizinhos do Aconcágua. É uma ótima opção para se aclimatar antes de enfrentar a Rota Normal, pois o cume destas duas montanhas pode ser alcançado em apenas uma jornada, partindo de Plaza de Mulas (4.230m), acampamento-base da Rota Normal. São montanhas que proporcionam lindas vistas do Aconcágua.

Também fiz duas tentativas a Parede Sul do Aconcágua, citada pelo alpinista italiano Reinhold Messner como uma das cinco maiores e mais difíceis paredes do mundo. O acampamento-base da Parede Sul está a 4.100m e se chama Plaza Francia. Dali partem inúmeras rotas, sendo a mais conhecida a Rota dos Franceses, conquistada em 1954. Foi por esta mesma rota que, junto com um argentino, eu consegui chegar até os 5.900m, no início do Glaciar Superior, quando fomos surpreendidos por uma tempestade e imediatamente resolvemos abandonar a parede.


É grande o número de pessoas que me procura em busca de informações para escalar o Aconcágua.
Abaixo seguem algumas dicas que podem ajudar.


Dicas para escalar o Aconcágua

A época ideal para se escalar o Aconcágua é entre os meses de dezembro e março (melhor janeiro ou fevereiro). Geralmente é necessário no mínimo duas semanas. Quanto mais tempo para a aclimatação melhor, o grande segredo do sucesso em qualquer alta montanha.

É possível organizar sozinho toda a expedição, mas bem mais fácil e indicado contar com o apoio das agências especializadas em Mendoza, com elas é possível contratar todos os serviços, ou apenas o transporte até Puente del Inca e mulas até o acampamento-base. Facilmente se encontra o contato dessas agências pela internet.

Em Mendoza é necessário ir pessoalmente a Secretaria de Turismo para retirar a permissão para a escalada (custa de 300 a 700 dólares por pessoa, conforme a data escolhida).

É bom não deixar para a última hora, mas, se for necessário, é possível comprar ou alugar equipamentos para a escalada em alguma das lojas em Mendoza.

Em Mendoza vale a pena comprar alimentos frescos para levar até o acampamento-base (vegetais, frutas, ovos, queijo, etc.). O restante da alimentação é bom comprar no Brasil.

São 175Km de Mendoza até Puente del Inca, de onde se inicia a caminhada de aproximação. A maneira mais barata é ir de ônibus da empresa Uspallata (parte da rodoviária).

Existem agências que organizam o transporte até Puente del Inca, mesmo que você decida ir de ônibus, é interessante contratar o serviço de mulas com essas agências ainda em Mendoza. As mulas (cavalos) partem de Puente del Inca e levam a carga pesada até o acampamento-base. É possível contratar as mulas em Puente del Inca, mas talvez você tenha que esperar alguns dias até arranjar tudo.

De Puente del Inca até Plaza de Mulas são cerca de 40Km, vencidos em duas etapas. Primeiro até Confluência, onde se pode acampar logo após cruzar o rio Confluência (Confluência Inferior, 3.300m), ou um pouco mais acima, mais uns 40 minutos de caminhada (Confluência Superior, 3.500m). Prefiro o acampamento de Confluência Superior, logo após vencer a subida íngreme, bem próximo à encosta do lado direito. É uma boa idéia passar duas noites em Confluência, gastando um dia para ir até a base da Parede Sul, como aclimatação. O caminho de Confluência até Plaza de Mulas é o trecho mais difícil da aproximação, leve bastante água para esta caminhada.

Plaza de Mulas (4.230m) é um ótimo acampamento-base, porém muito agitado devido ao grande número de alpinistas. Deixe a barraca sempre bem fechada. É interessante passar pelo menos quatro ou cinco noites aqui antes de subir definitivamente para um acampamento superior. Neste período é preciso se aclimatar, subindo para altitudes superiores (aproveite para transportar comida e equipamentos) e voltando para dormir em Plaza de Mulas.

Não durma nos acampamentos superiores sem antes estar devidamente aclimatado.

Muita gente deixa Plaza de Mulas para montar o próximo acampamento em Nido de Condores. Melhor é montar um acampamento antes, em Plaza Canada, a 4.800m. Passe uma noite aqui, ou duas, depois vá para Nido de Condores, 5.300m. Se estiver se sentindo bem, passe apenas uma noite em Nido e siga para Berlin, a 5.950m. Berlin é um refúgio muito pequeno, no máximo para seis pessoas, assim não deixe de levar a sua barraca. Evite passar mais de uma noite em Berlin, se o tempo estiver ruim ou se você não estiver bem aclimatado, desça para Nido de Condores ou para Plaza de Mulas.

Comece o ataque o cume bem cedo, cinco horas da manhã é uma boa hora. Parta no máximo às seis horas. Se você estiver bem, deve levar sete horas até o cume. Se você não chegar ao cume até às duas da tarde é melhor voltar.

Dê sentido a todo o seu esforço, treine, prepare-se,
concentre-se em seu objetivo. Respeite os seus limites e a montanha.
Faça da sua escalada uma experiência agradável e inesquecível.


Treinamento

Procure contar com a orientação de um Preparador Físico, um Fisiologista e fazer uma visita ao seu Médico, antes de começar a treinar seriamente.

Dedique-se ao máximo em sua preparação física, até sentir-se bem! Sentir-se bem fisicamente é manter uma boa disposição, não sentir dores em razão de exercícios mínimos, não sentir cansaço com pouco esforço, e, acima de tudo, sentir uma boa recuperação após uma boa corrida ou qualquer outra atividade física intensa.

O treinamento para se escalar o Aconcágua deve ser de longa duração, visando adquirir resistência física e aumentar a sua capacidade aeróbica (capacidade do organismo em absorver oxigênio).

O treinamento ideal é o realizado na montanha, caminhadas de longa duração vencendo o máximo de desnível no menor tempo possível. Escaladas ajudam em muito a criar mais intimidade com a montanha e também com o manejo dos equipamentos. Como raras pessoas podem ir com frequência até a montanha, procure se dedicar às corridas e aos exercícios aeróbicos.

 As corridas devem ser no mínimo de quarenta minutos. No início não é tão importante a distância percorrida, mas manter o ritmo, que aos poucos vai naturalmente se aprimorando.

Se você fizer 7Km em quarenta minutos está bom, se fizer 8Km está ótimo, se fizer 10Km está excelente. Chegue aos quarenta minutos gradativamente, respeite o seu organismo.

Corra em dias alternados. Nos dias que não correr faça natação, exercícios aeróbicos ou pedale. Se fizer musculação prefira cargas leves e aumente o número de repetições (três séries com trinta repetições, ótimo para adquirir resistência, o que você mais vai precisar).

Sempre faça um longo alongamento após as corridas ou qualquer exercício, isso é muito importante.

Respeite as limitações do seu organismo, caso sinta desconforto pela atividade física diminua a intensidade dos exercícios. Reserve o domingo para descansar, de preferência subindo uma montanha e depois tomando um banho de cachoeira.

Mantenha o ânimo elevado e trate de se alimentar muito bem.


Sugestão de equipamentos para escalar o Aconcágua pela rota Normal:

- bota de caminhada para ir até o acampamento-base.
- botas duplas de plástico.
- saco de dormir de duved (pena de ganso).
- polaina.
- botas de caminhada.
- meias grossas.
- meias finas.
- calça de forro polar (poliamida).
- ceroula de capilene (poiamida).
- calça de gore-tex, se possível com ziper lateral.
- camisetas de capilene (primeira pele) (poliamida).
- jaqueta de forro polar (segunda pele) (poliamida).
- japona de duved.
- anorak de gore-tex.
- luvas finas (seda ou poliamida).
- luvas de forro polar (poliamida).
- mitena (é uma luva de dois dedos).
- sobre mitena de gore-tex.
- gorro para o frio.
- boné ou chapéu para o sol.
- óculos para sol, 100%UV, com proteção lateral.
- grampões.
- bastões de esqui telescópicos (muito mais útil para a Normal que o piolet).
- mochila grande 80/90 litros.
- colchonete ou isolante térmico.
- lanterna frontal.
- lanterna reserva (muito importante, pode ser outra lanterna frontal, menor).
- barraca pequena, aconselhável outra para o acampamento-base.
- altímetro.
- bússola.
- fogareiro.
- cantil.
- garrafa térmica que não quebre.
- colher (garfo e faca só atrapalham).
- canivete suíço (não é necessário o maior deles, de nove elementos é o ideal).
- panelas (uma por pessoa, de 1 a 2 litros).
- copo de plástico (grande e forte).
- prato fundo de plástico (forte).
- estojo de primeiros-socorros.
- agulhas e linhas para reparos.
- filtro solar, creme hidratante.
- isqueiro.
- sandália para usar no acampamento-base.


Mais informações : informações gerais sobre o Aconcágua, permissões, descrição das rotas, conselhos, etc.

Voltar ao Índice

Cova do Vapor. A praia da Caparica que cai sempre bem

Caraíbas? Nada disso? Ana Brígida Clara Silva (texto) Ana Brígida (fotos) 19/06/2015 13:20

Outrora um segredo de pescadores e surfistas, a aldeia entre o Tejo e o oceano tornou-se mais popular.

Cai Bem. O nome da bebida diz tudo. Manuel Coutinho já serve dois copos ao balcão do quiosque, que também vende iscos de pesca – “casulo ganso e minhoca coreano”, avisa um cartaz –, palavras cruzadas, tabaco e o que mais houver. “Não escrevam nada que depois traga para aqui muita gente”, pede-nos, embora saiba que cada vez são mais as reportagens “e trabalhos para a faculdade” nesta primeira praia da Costa da Caparica.

Aliás, ainda guarda uma revista de surf de 2009 com uma fotografia sua e orgulha-se:“Está tudo na mesma.” De facto, está.

Desde o preço do Cai Bem à caixa de chupa-chupas na mesma posição há seis anos. 90 kg de limões “Ao fim-de-semana vêm para aqui os ciclistas do parque de campismo e enchem o balcão com seis ou sete copos”, conta. Fora isso, não há muito movimento no quiosque e ainda bem. Manuel gosta de servir os Cai Bem em copos de vidro (1 euro o copo grande, 70 cêntimos o pequeno e 6,5 euros a garrafa para levar para a praia) e lava-os e limpa-os logo a seguir. Com muita gente, tal tratamento não seria possível.



É ele também quem prepara a bebida fresca todos os dias, “com limões nacionais”, sublinha.“O ano passado fui à Malveira comprar 90 kg de limões. Eram sete da manhã e já lá estava. Qual é o maluco que faz isto?” Pelos vistos, é ele, e o Cai Bem cai-nos que nem ginjas – talvez por ser feito com ginjinha –, mesmo em jejum.

A receita foi inventada pelo seu cunhado, que esteve ali 15 anos – “até 2007” –, e começou a ser vendida no mesmo quiosque onde em tempos se faziam farturas.“Depois houve um ano em que tive de fechar isto e outras casas também começaram a fazer”, explica. Imitações. “Agora se vier à Cova do Vapor sem beber um Cai Bem aqui e sem comer uma bola-de--berlim ali, mais vale dizer que não veio cá. Além de ir à nossa praia, que continua sempre com a areia, não é como as outras da Costa.”

As famosas bolas-de-berlim (1 euro) vendem-se na Panicova, a pastelaria e padaria de fabrico próprio da zona. Além destes sítios, e já em cima da areia, o Albatroz, com peixe fresco e vista para o farol do Bugio, é outro dos pontos obrigatórios. E até há quem leve para ali o computador para trabalhar durante a semana (há wi-fi), depois de um mergulho.

BUGIO À VISTA “Tu também vens para aqui?”, pergunta-nos um amigo a passar de carro. Se a Cova do Vapor chegou a ser um segredo mais ou menos bem guardado de surfistas, pescadores e locais, nos últimos tempos tem-se tornado uma praia muito popular, principalmente aos fins-de-semana.

De tal forma que até já tem direito a um hostel, imagine-se. Por entre as casas, exemplo máximo da arquitectura vernacular, e de ruas como a Quinta Avenida ou a Avenida dos Milionários, ainda brilha a tinta azul do Bugio à Vista, o hostel que começou a funcionar há pouco tempo no espaço de um conhecido restaurante.



O site do hostel explica um pouco a história do edifício e da sua primeira proprietária, Beatriz Ferreira, “fotógrafa oficial da primeira Presidência da República em Portugal”, dizem. “Graças a ela permanecem vários registos fotográficos do Bugio à Vista, assim como da Cova do Vapor desta época”, quando o mar ameaçava destruir as casas e a vila teve de recuar para terra.

Agora, quem nos mostra os quartos é Gareth, amigo da proprietária, Amália, que comprou o restaurante para “transformá-lo neste hostel e concretizar o seu sonho”. Com quartos de madeira novinhos em folha e um terraço com um chuveiro, ideal para surfistas acabados de sair do mar, o hostel seria perfeito para passar férias na Cova do Vapor. Não fosse o preço, a 40 euros por noite.

AVENIDA DOS MILIONÁRIOS Está tudo caro e nem a Cova do Vapor escapa. Ana, proprietária do café em frente ao hostel, que também vende “Cai-Bem” – desta vez anunciado com um hífen –, queixa--se de que há poucos clientes. “Estou aqui há 34 anos e acho que isto cada vez está mais fraco. Agora começaram para aí a alugar os quartos e tem mais gente, mas mesmo assim acho que está mais fraco.”

Na Avenida dos Milionários (foram os moradores que escolheram o nome das ruas) também não há quem tenha enriquecido. Jaime Caldeira, por exemplo, tem as escadas da casa do sogro, para onde costuma ir passar temporadas, cheias de quadros seus, mas nenhum está à venda.



“Às vezes ofereço algum a um amigo que me pede ou a alguém que passa por aqui e que gosta muito”, conta. Há paisagens da Sé de Lisboa, cabeças de Cristo – “mas sou ateu”, justifica-se – e alguns desenhos feitos por miúdos locais que ali passam tardes. “Alguns são muito, perdoem-me a expressão, ordinários, mas chegam aqui e transformam-se, ficam muito concentrados a pintar.”

Apesar de ter casa em Lisboa, é ali que passa grande parte do tempo, como a sua falecida mulher tanto gostava. “Na altura nem a percebia bem, mas agora passo aqui dias e dias seguidos.”

Cova do Vapor Praia da Caparica
assinaturas última edição outras edições
+ VISTOS
ÚLTIMAS
1

TAP. Diogo Lacerda Machado defende compra da VEM

2

Erupção do Vulcão leva a cancelamento de voos

3

Função Pública. Descongelar carreiras vai custar 640 milhões

4

Figueirense candidata-se à Ordem dos Solicitadores

5

Morais Sarmento é o mandatário de Rui Rio

6

Despedimentos coletivos já afetaram mais de 2470 trabalhadores

  22:04

Benfica goleia Vitória de Setúbal (6-0) e aquece clássico do Dragão

  20:14

Sporting vence em Paços (1-2) e fica a dois pontos do FC Porto

  19:02

Erupção do Vulcão leva a cancelamento de voos

  19:02

Trump reafirma apoio ao candidato Roy Moore

  18:25

Zimbabué. Ativistas temem violação de direitos humanos

  18:19

Despedimentos coletivos já afetaram mais de 2470 trabalhadores

Secções

Informação

Edição Digital

Todos os direitos reservados - ionline.pt

Não tem utilizador? Clique aqui para registar

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×